Os “Indicadores SPO” publicados pela ANAC

By: Author Raul MarinhoPosted on
401Views8

A ANAC incluiu ontem em seu portal um link para os “Indicadores SPO”, com dados interessantes sobre os prazos para análise de “Processos PEL” – aqueles em que o sujeito se relaciona diretamente com a ANAC (diferente do que acontece com processos de tripulantes de linha aérea e de táxi aéreo, cujas empresas os intermedeiam) -, e sobre a quantidade de provas aplicadas pela Agência. Tudo se resume a dois gráficos que seguem comentados a seguir:

Gráfico “Estoque de processos PEL”

Aqui, o que se quer evidenciar é que a “idade média” dos processos (há quanto tempo um processo está sob análise) caiu significativamente no “segmento PEL” (processos não intermediados por empresas de aviação). Vejam as setas amarelas inseridas abaixo, que indicam que a referida idade chegou a 151 dias em abril de 2012 (hoje é de 11 dias, em média), e já houve quase 7mil processos parados há mais de 60 dias (hoje são pouco mais de 100 parados há mais de 15 dias). E, de fato, se os comentários de leitores deste blog forem um bom indicador de rapidez na análise dos “Processos PEL”, esta melhorou muito mesmo nos últimos tempos.

EPPEL

Gráfico “Provas Realizadas por Mês e Sala”

Infelizmente, este gráfico abrange um período muito menor que o anterior e carece de mais detalhamento, mas mesmo assim já dá para ver como a demanda do “segmento PEL” está caindo: realizou-se 60% menos provas em dezembro de 2015 comparativamente a maio de 2014. Como as provas da ANAC têm uma forte relação com a demanda por instrução aeronáutica, a queda no movimento dos aeroclubes e escolas de aviação deve estar neste mesmo patamar, infelizmente.

PANACEncerro

Acho positivo que a ANAC abra seus dados operacionais, mas lamento que o faça de maneira tão restrita: não sei porque restringir tanto o período de cobertura ou os detalhes do que é mostrado, mas pelo menos é um começo… Acho, entretanto, elogiável o trabalho que se fez na GCEP em termos de melhoria dos prazos na análise de processos. (Já quanto à queda do movimento das provas – e, consequentemente, da instrução aeronáutica -, não vou nem comentar para não azedar o fim de ano dos leitores).

 

8 comments

  1. João Melo
    1 ano ago

    Na minha opinião o estoque de processos PEL caiu muito devido ás restrições impostas, pelo RBAC 61, para obtenção e revalidação TIPO. O que mascara essa aparente melhoria apresentada pela ANAC (coisa de PTista).

    • Raul Marinho
      1 ano ago

      Isso pode ter sido um dos fatores, mas o que deve ter influenciado mesmo foi a baixa na demanda por novas carteiras de PP/PC e a revalidação por horas de hab.CLASEE.

  2. EC
    1 ano ago

    Achei interessante a quantidade de provas realizadas no eixo rio-sp.

  3. Wagner
    1 ano ago

    Boa noite Raul. Raul só para certificar mesmo, então as bancas (Provas teóricas) ou as CCT ( Certificado de Conhecimento técnico) Não mais caducam? Certo?

    • Raul Marinho
      1 ano ago

      Certo.

      • Wagner
        1 ano ago

        Raul posso confiar de olhos fechados então?

        • Raul Marinho
          1 ano ago

          Se o regulamento não mudar e se a ANAC respeitar o que escreve, pode.

  4. César Bona
    1 ano ago

    Interessante verificar o pico de provas antes das “mudanças” no RBAC-61 que vão se repetindo à medida que as datas dessas “mudanças” são adiadas.

Deixe uma resposta