Novo Manual de Fraseologia do DECEA (MCA 100-16)

By: Author Raul MarinhoPosted on
313Views1

No último dia 19/02/16, o COMAER/DECEA publicou uma nova versão do Manual de Fraseologia de Tráfego Aéreo – MCA 100-16 – com modificações importantes nos seguintes pontos (está reproduzido abaixo todo o texto do respectivo assunto):

Cotejamento das instruções e autorizações:

  • Seção 2.3.8:

A tripulação de voo deverá cotejar (repetir) as seguintes autorizações e instruções transmitidas de forma oral, relacionadas à segurança:

  1. autorizações da rota ATC;
  2. autorizações e instruções para, em qualquer pista, efetuar entrada, pouso, decolagem, manter-se a certa distância, cruzar, taxiar e regressar; e
  3. pista em uso, ajuste de altímetro, código SSR, instruções de nível, instruções de proa e de velocidade e níveis de transição.

NOTA: Se um piloto repetir uma autorização ou instrução de maneira incorreta, o controlador transmitirá a palavra “negativo” seguida da versão correta.

  • Seção 2.17/Nota #2:

As palavras CIENTE (em português) e ROGER (em inglês) não devem ser utilizadas quando for exigido ou se solicitar “COTEJAMENTO” ou em resposta direta.

Informações relacionadas com ação de frenagem/atrito e de água/neve/gelo sobre a pista:

  • Seção 3.1.15:

INFORMAÇÕES SOBRE A PISTA

NOTA: Os exemplos de fraseologia a seguir se referem às informações originadas da aeronave que tenha pousado ou da Administração do Aeródromo.

PR GON, ação de frenagem (…) notificada pelo B737-700 às 21:00.

a)  boa;

b)  média para boa;

c)  média

d)  média para ruim; ou

e)  ruim.

PR GON, braking action reported by B37-700 at 21:00 (…).

a)  good;

b)  medium to good;

c)  medium;

d)  medium to poor; or

e)  poor.

PR GON, informação da administração do aeródromo das 21:00, pista com até (xx) milímetros de água. Superfície de atrito estimada pista 35 esquerda molhada ou PR GON, runway report at 21:00 runway 35 left water up to (xx) millimetres. Estimated surface friction runway 35 left wet or
a)  acúmulo de água; ou

b)   neve removida (se for o caso, comprimento e profundidade); ou

c)   tratada ou coberta com poças de neve seca; ou

d)    neve úmida, ou neve compacta ou neve derretida ou neve semiderretida ou semiderretida congelada; ou

e)     gelo ou gelo úmido ou gelo abaixo da superfície ou gelo e neve ou monte de neve ou sulcos e cumes congelados

a)   standing water; or

b)        snow     removed   (lengh    and   width   as applicable); or

c)      treated, or covered with patches of dry snow; or

d)   wet snow, or compacted snow, or slush, or frozen slush; or

e)    ice, or wet ice, or ice underneath, or ice and snow, or snowdrifts, or frozen ruts and ridges.

Expressões condicionais:

  • Seção 2.3.6:

Não deverão ser utilizadas frases condicionais, como: “APÓS A AERONAVE QUE POUSA”, ou “APÓS A AERONAVE QUE DECOLA”, para se referir aos movimentos que se realizem na pista em uso, exceto quando a aeronave ou o veículo em questão estiver à vista, tanto do controlador quanto do piloto.

  1. Quando as autorizações condicionais se referirem a uma aeronave saindo e outra chegando, é importante que a aeronave que sai identifique corretamente a aeronave que chega, na qual a autorização condicionada está baseada.
  2. Em todos os casos, a autorização condicional deverá ser dada na seguinte ordem:
    1. Identificação;
    2. Condição;
    3. Autorização; e
    4. Repetição breve da condição. Exemplo:

 

Português

Inglês

Torre

GLO 1256, reporte avistando o Airbus na final.

GLO 1256, report the airbus on final in sight.

Aeronave

GLO 1256 avistando o Airbus.

GLO 1256 Airbus in sight.

Torre

GLO 1256, após o Airbus na curta final, alinhar e manter após o Airbus.

GLO 1256, behind Airbus on short final, line up and wait behind.

Inclusão do termo “Mayday combustível”:

  • Seções 3.1.7.2 e .3:

A mensagem de socorro ou de urgência a ser enviada pela aeronave deverá consistir das informações abaixo, na medida do possível, na ordem que se segue:

  1. Órgão ATS (se as circunstâncias permitirem);
  2. Identificação da aeronave;
  3. Natureza da condição;

NOTA: O termo “Mayday combustível” pode, também, ser usado para descrever a natureza da condição de emergência.

  1. Intenção da pessoa no comando; e
  2. Posição atual, nível de voo ou altitude, se pertinente, e

Emergência por combustível:

* Mayday, Mayday, Mayday, PT NGS Mayday combustível, solicita após VOR Sorocaba, UA 318, FL 280, posição 30 milhas do VOR Sorocaba.

* Mayday, Mayday, Mayday, PT NGS Mayday fuel, request after Sorocaba VOR, UA318, FL 280, position 30 miles from Sorocaba VOR

One comment

  1. Que bom atualizarem esse manual e espero que todos os envolvidos (pilotos e controladores, também) o leiam atentamente. As coisas que volta e meia se escuta por aí…

Deixe uma resposta