Mais informações sobre as possibilidades de voar na China

By: Author Raul MarinhoPosted on
621Views7

Complementando o post “Se o seu patrão lhe oferecesse a oportunidade de ir trabalhar em outro lugar ganhando mais, isso seria ruim para você? E para ele?“, reproduzo abaixo parte de uma mensagem recebida de um amigo que atua na área operacional de uma companhia aérea, e que preferiu preservar sua identidade. Segue também o link para uma tabela com os salários ofertados pelas principais companhias aéreas que estão contratando pilotos estrangeiros atualmente: Salários pagos a expatriados.

O pessoal da TAM tem mais lógica de sair, visto que tem experiência e type rating de A320 / A330. Note-se que, até onde eu sei, a HNA está admitindo apenas para A330 e B787, então, os “elegíveis” são poucos. Para ambos equipamentos admitem “type rated”e “non type rated”, mas para os non type rated, em geral, o contrato é maior, os requisitos são maiores e o salário, menor.

Para o 787 ninguém no Brasil tem o type, então, sobraria apenas a opção de “non type rated”. Deve existir alguma “facilidade” para quem é habilitado no 777 mas, mesmo assim, cai na classificação de “non type rated”.

A Azul liberou apenas comandantes de E195 para pedirem a tal licença p/ a HNA. Não faz sentido do ponto de vista dos empregos disponíveis mas, penso eu, se abrirem p/ o pessoal do A330, certamente estariam “patrocinando” os type ratings p/ o pessoal ir p/ fora e teriam que formar mais gente no A330, o que significa mais custos num momento onde essa não é a ideia.

Em geral, os pilotos brasileiros são muito desorganizados e, apesar de muita gente querer ir p/ fora, nem todo mundo consegue. Os problemas vão desde não ter ICAO 4 ou maior até não ter um simples logbook (é incrível mas a maioria dos pilotos de empresa nem sequer sabe direito quantas horas têm). Tudo é possível de se conseguir mas, para os que não têm nada, muito provavelmente vão demandar tempo e perder essa “janela”.

Os salários mais atrativos (obviamente) são para aqueles que se dispõem a ficar lá em tempo integral, sem as folgas mensais p/ vir p/ casa (commuting), o que significa uma vida mais dura…

No fim das contas, eu acho que tanto a abertura de LNR como essa abertura p/ a China (que na verdade é a mesma coisa só que com uma “facilitação de destino”, digamos assim) é uma forma de mostrar que eles tentaram todas as possibilidades antes de iniciar as demissões, que certamente ocorrerão em breve. 20 aviões significam 240 pilotos e eu duvido muito que essa quantidade será “exportada” p/ a HNA, principalmente em se tratando de caras com type de E190… Veremos as cenas dos próximos capítulos.

Obs.: Como as opiniões e informações deste post não são de minha autoria, as respostas a comentários com perguntas específicas sobre o texto acima serão reproduções das respostas do autor.

7 comments

  1. Luciano
    2 anos ago

    Mas king não eh reação?

    • Raul Marinho
      2 anos ago

      Negativo. King é turboélice. Avião a reação = turbojato/turbofan.

  2. Fabio Meireles
    2 anos ago

    Raul muito boa sua colocação.
    Quando você fala sobre o logbook, ICAO e horas de voo talvez esse seja o motivo pelo qual o número pre contabilizado e divulgado de adesão a LNR foi muito abaixo do esperado, a Azul apresenta essa possibilidade de voar fora (para cmte ERJ), apenas para mostrar para o SNA que a empresa tentou ajudar antes, mas será que foi realmente todos? Tentar justificar para o SNA que fez algo e essa baixa adesão foi o que levou a empresa a procurar essa alternativa da HNA? Essa medida não foi bem sucedida e dá um fôlego pequeno para a empresa, diante disso a empresa já faz grandes movimentações internas com o SNA para um possível big PDV e na sequência contabiliza demissão dos resistentes ao PDV.
    Do outro amigo: “Se nao expandirem essa licença de alguma forma” não entendi?
    Realmente os pilotos estão confusos e desorientados pois a única saída para a grande maioria seria a LNR, mas e agora irão reabrir? quem sai e quem fica?

    • Raul Marinho
      2 anos ago

      Fábio, agradeço mas o texto não é meu.

    • To chutando!
      2 anos ago

      O q quis dizer sobre expandir seria +- algo do tipo:
      1) Dos 7 A330 que a Azul teria, eles so vao ficar com 5. Tentar botar os co-pilotos e comandantes desses avioes em uma LNR na Hainan
      2) Copilotos do E190 pra voar na tianjin
      3) Quaisquer outros pilotos que se qualifiquem para voar qualquer outra coisa. Por exemplo: qual o problema de pilotos do Embraer / ATR terem o type rating de outro aviao pago para voarem de copilotos. Basta compensar o custo do type rating com um salario ligeiramente menor do que pagaria para alguem com type.
      Algo desse tipo.
      Mas enfim: como o Brasil nos surpreende pra pior a cada dia, acho q a lista de desligamentos vai rolar mesmo. Chuto uns 50-100 pilotos.

      • Fabio Meireles
        2 anos ago

        Isso que falou é uma engenharia que possivelmente não vai acontecer nada disso.
        Eu chutaria não menos que 140 pilotos desligados pra já, com a ressalva que LNR foi baixa adesão e a empresa tentou ajudar com o grupo HNA.

  3. To chutando!
    2 anos ago

    Concordo com a maior parte do comentario. So discordo da parte q faz mencao ao pessoal que voa 190, pois a oferta do HNA Group para os pilotos da Azul nao e para a Hainan em si, e sim pra Tianjin, q e uma subsidiaria do HNA e q voa 190.

    Sobre os numeros: 20 avioes representam 15% da frota da Azul. 15% do grupo de pilotos equivale a 240 pessoas, entre comandantes e co-pilotos. Supondo q a empresa esteja com sobra de metade disso, sao 120 pessoas. Nao creio q entre LNR e aprovados pra China chegue nem a metade disso, 60. Se nao expandirem essa licenca de alguma forma, ainda vejo uma sobra de 60-100 pilotos na Azul para serem desligados ou aderirem a um PDV.

Deixe uma resposta