Nota da ANAC informa as principais mudanças com a nova emenda ao RBAC-61

By: Author Raul MarinhoPosted on
403Views16

A ANAC acabou de publicar uma nota com as principais mudanças da nova emenda ao RBAC-61. Basicamente, é o que foi informado aqui na sexta-feira passada e nos demais artigos aqui publicados sobre o assunto, mas como tem gente que só fica sossegado quando a fonte é “oficial” segue abaixo o texto da ANAC:

ANAC altera RBAC nº 61 (Licenças, Habilitações e Certificações de pilotos)
Norma publicada no DOU passa a vigorar em 23/04
(publicado: 24/03/2016 09h30 última modificação: 24/03/2016 09h46)

Brasília, 24 de março de 2016 – A Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) aprovou, na última sexta-feira (18/03), a Emenda no 06 ao Regulamento Brasileiro da Aviação Civil nº 61 (RBAC no61), que trata de “Licenças, habilitações e certificados para pilotos”.

A emenda aprovada aproximou a norma do regulamento americano (Part 61) que trata do mesmo assunto. Dentre as inovações incorporadas ao Regulamento, destacam-se:

Habilitação de Classe – As habilitações de Classe são aquelas necessárias para operar aeronaves menos complexas e têm validade de dois anos. Nessa modalidade de certificação, o piloto recebe uma certificação para cada classe de aeronave, que pode englobar modelos diferentes de aeronaves com características similares. Uma inovação introduzida pela Emenda nº 6 ao RBAC nº 61 é a possibilidade de considerar como Classe aviões turbohélice com Peso Máximo de Decolagem (PMD) inferior a 5.670 kg.

Outra mudança é a criação de três classes de helicópteros: monomotores convencionais, monomotores a turbina e multimotores. Todos os helicópteros com tripulação mínima de dois pilotos ou com PMD maior que 5.670 kg continuarão sendo considerados Tipo.

Pela Emenda, os treinamentos para aeronaves Classe podem ser feitos com instrutores habilitados, não sendo exigida a realização dos mesmos em escolas ou centros de treinamento. Contudo, ficarão estabelecidos em regulamento os treinamentos mínimos e os procedimentos que devem ser realizados para a obtenção dessas habilitações.

Endossos – Além dessas adequações às habilitações Classe foram criados os endossos, que são comprovações da realização de treinamentos adicionais necessários para a operação de modelos específicos ou com características específicas. A ANAC publicará, em até 30 dias, Instrução Suplementar definindo treinamentos e endossos necessários para essas situações. Para garantir a transição entre o modelo anterior e o novo modelo de endosso, a ANAC também exigirá, até 30 de junho de 2017, um exame de proficiência em voo, adicionalmente ao endosso, nos casos de transição entre modelos de aeronave que pertenciam à designação Tipo diferentes na data de publicação da Emenda nº 6 e que se tornaram aeronaves Classe, segundo as novas regras. Informações adicionais para cada caso específico constarão da próxima revisão da IS nº 61-004 que será divulgada em até 30 dias.

Habilitação de TIPO – Aeronaves mais complexas, que não se enquadram nos casos acima, serão consideradas Tipo. Nessa modalidade de certificação são necessários treinamentos em instituições certificadas para habilitação inicial e para as revalidações anuais. Nesse último caso, para os pilotos que iniciarem o treinamento de voo até 31/12/2016, o treinamento para a revalidação ainda poderá ser ministrado por um Piloto Comercial (PC) ou Piloto de Linha Aérea (PLA) habilitado e qualificado na aeronave, ainda que exista Centro de Treinamento de Aviação Civil (CTAC) certificado ou validado para o tipo.

Cursos certificados – Para a certificação dos pilotos privados, de linha aérea, de planadores e de balões a realização de curso certificado deixará de ser requisito para a realização do exame teórico.

Instrutor de voo – A experiência de 200 horas de voo como piloto em comando na categoria de aeronave deixará de ser requisito para a obtenção da habilitação de instrutor de voo, mantendo-se as exigências existentes.

16 comments

  1. Fabiano Santos
    1 mês ago

    Boa Tarde Raul, Parabéns pelos Artigos

    O cheque de PLA pode ser efetuado em Aeronave Monomotor 135?
    As horas em Comando para comprovação para o pedido de Cheque Inicial PLA pode ser horas de Monomotor (Caravan C-208)?

    • Raul Marinho
      1 mês ago

      O cheque de PLA pode ser efetuado em Aeronave Monomotor 135?
      =Não, tem que ser em aeronave multimotora.

      As horas em Comando para comprovação para o pedido de Cheque Inicial PLA pode ser horas de Monomotor (Caravan C-208)?
      =>Sim

  2. THIAGO TATSCH
    4 meses ago

    Raul, curso teórico de PC tem validade para realização da banca ANAC?

    • Raul Marinho
      4 meses ago

      No.

  3. Wellington
    12 meses ago

    No caso das habilitações, eu entendi que,se eu estiver pensando em ser piloto de planador ou privado, eu poderei prestar banca para ANAC,me formar como piloto sem nunca ter pisado em curso teórico.Estou certo?
    Thank you.

    • Raul Marinho
      12 meses ago

      Yes

  4. Danilo Soave
    12 meses ago

    O que acontecerá com os pilotos que tem habilitações, mesmo que vencidas, em alguma das aeronaves que subdividem a classe? Por exemplo, R44, R66 e A109? Será automaticamente habilidato em helicópteros mono-pistao, mono-turbina e bi-turbina??

    • Raul Marinho
      12 meses ago

      Em princípio, sim.

  5. Mateus
    12 meses ago

    Confirmando então, a partir de 31/12/2016, recheck de tipo, só em simulador homologado.

    • Raul Marinho
      12 meses ago

      Vamos aguardar a publicação do texto do regulamento. Não dá para responder a essa questão neste momento.

  6. Augusto Gentile
    12 meses ago

    Então, posso tirar uma carteira de PP/Classe/helicóptero/avião só voando com algum instrutor habilitado em qualquer aeronave?

    • Raul Marinho
      12 meses ago

      Negativo, meu caro gaúcho-manauara! Só é possível obter a licença de PPH em curso prático certificado. Depois de checado o PPH, e com a habilitação de CLASSE mono-pistão de R-22, p.ex., vc poderia fazer a transição para o R-44, o Schweizer ou qualquer outro mono-pistão somente com o endorsement (mais o cheque até 6/2017 – é a regra de transição). Se vc quiser pular para uma habilitação de mono-turbina ou multi, aí sim vc faria o treinamento com o instrutor habilitado.

      • Cmte Fernando
        12 meses ago

        Raul , então após se passarem 30 dias até a ANAC informar como será o processo do endorso, será possível realizar o treinamento, ok! Porém só poderei checar essa aeronave que era tipo quando a ANAC informar a data? Tendo como data máxima até 06-2017? Logo só poderei anotar hora após o cheque?!

        • Raul Marinho
          12 meses ago

          A data para a transição é 23/04. Até lá, vc só pode obter a licença em CTAC; depois, com treinamento na aeronave e cheque com INSPAC.

  7. Paulo Borges
    12 meses ago

    E o caso de PLA lançar hora de voo, mudou algo?

    • Raul Marinho
      12 meses ago

      Negativo.

Deixe uma resposta