Pátio Santos Dumont (SBRJ)

By: Author Raul MarinhoPosted on
283Views6

pátio do santos dumont [3075462]

Recebi a mensagem abaixo reproduzida do leitor João Augusto, inclusive com a foto acima. Acho que é um assunto de grande importância para a aviação geral, e que merece ser discutido:

Prezado Raul.

Não sei se vc já está atento a este assunto, em todo caso lá vai.

HISTÓRICO

Até a época da Copa do Mundo, o Santos Dumont vinha operando com slot 24h, cuja necessidade era bastante questionável, uma vez que o aeroporto sabidamente tem 2 picos de tráfego, de manhã cedo e ao fim da tarde, operando porém de forma ociosa no restante do tempo. Não custava nada estabelecer horários para slot, mas é muito mais cômodo para a Infraero proibir do que administrar.

Após a Copa, com o início das obras de reforma do pátio das aeronaves regulares, foi acrescentado ao notam de slot uma restrição de pátio leonina para as aeronaves da aviação geral, que só puderam a partir de então permanecer no pátio por um tempo máximo de 3h. As alternativas eram ou pagar hangaragem caríssima ou decolar para outro aeroporto. Pernoite, nem pensar. As aeronaves sediadas no aeroporto foram impiedosamente expulsas. Não é preciso mencionar o incômodo, estresse e custos adicionais causados por esta medida. Para não falar em segurança de voo, mas felizmente nada de mais grave parece ter ocorrido.

Quanto ao radicalismo excessivo do notam de pátio, existe uma prova irrefutável. Basta consultar as fotos de satélite do período ago/14 a mar/16, constantes do histórico do google earth, que se constatará a ociosidade do pátio da aviação geral. Mais uma vez, foi mais cômodo para a Infraero proibir do que administrar.

Desnecessário ressaltar a importância de SBRJ como aeroporto doméstico situado no centro do Rio. Todo tipo de aviação geral depende da maximização da disponibilidade desse aeroporto para suas atividades.

SITUAÇÃO EM ABRIL/16.

As obras do pátio das aeronaves regulares foram terminadas em fevereiro/16.

O aeroporto retornou à sua configuração de antes da Copa do Mundo.

Era de se esperar que todas as restrições fossem levantadas, certo? No entanto, o notam repetitivo foi recentemente renovado até 9/jun.

Lembrando inclusive que, com a crise econômica, o movimento da aviação regular deve ter diminuído bastante. Ver foto anexada, que mostra o pátio de posições remotas completamente vazio. A foto foi tirada às 12h30 desta sexta feira 1/abr, dia em que o movimento deve ser maior.

A pergunta que não quer calar. Para quê slot 24h para a aviação geral e para quê restrição de pátio para a aviação geral?

P.S. Levantei este assunto na Appa por mais de uma vez, mas o interesse daquela comunidade por assuntos que não digam respeito a SP é muito restrito. Não sou o primeiro a observar este comportamento coletivo, nem o primeiro a reclamar.

P.S. 2  É muito provável que haja interesses pouco republicanos por trás desse comportamento da Infraero.

Um abraço

João Augusto

6 comments

  1. Patrick
    10 meses ago

    Ah esqueci de mencionar… Vfr especial no Sdu e Jacaré até pouco tempo atrás era proibido… Inclusive estão novamente tentando derrubar lá em Jacaré se é que já não conseguiram… Quem opera lá sabe o qto é difícil…qlq coisa já está abaixo dos mínimos… Tantas máquinas de última geração no chão…mais a filosofia é aviação geral no chão! Qto menos melhor! Lamentável!

  2. Patrick
    10 meses ago

    Rio de Janeiro Anti Aéreo! Só burrocracia… Fechamento de AD (Clube Céu, Saquerema, Búzios que está pra reabrir depois de muitos anos, Maricá que vai aos trancos e barrancos, Nova Iguaçu) fora as Ais que vc fica 40 min pra passar um plano! Chama chama e ninguém atende! Restrição de Pátio Sdu…Jacaré…Realmente não dá pra entender!

  3. Humberto Branco
    10 meses ago

    Raul e João Augusto,

    A opinião exposta (como sempre) pelo João Augusto, a respeito da ingerência na oferta de vagas de estacionamento para aeronaves no Santos Dumont (e em pelo menos outros 14 outros aeroportos brasileiros, como a APPA vêm monitorando), é correta. Mais do que isso, é conhecida por nós, da APPA, que concordamos rigorosamente com cada linha (à exceção do bairrismo com São Paulo… Rsrsrsrsr.

    Sabemos que a APPA precisa se expandir nacionalmente o máximo possível. Por isso, há pelo menos 2 anos, a Associação conta com Diretores Regionais na Região Sul, em Minas Gerais, no Rio de Janeiro, no Centro-Oeste e na Região Nordeste. Não estamos tão presentes quanto gostaríamos, mas o trabalho dos nossos diretores regionais é muito importante.

    Em relação as questões específicas do desperdício de vagas para a Aviação Geral, no Brasil, a APPA já formalizou sua opinião (pela análise da extinção de restrições onde não se fazem necessárias e adoção de modelos de sucesso, por exemplo o adotado no Campo de Marte, em São Paulo-SP, onde for necessário) à ANAC, à SAC e à Infraero.

    Infelizmente, até o momento, nenhuma das autoridades aeronáuticas, que possuem a prerrogativa de decidir o que fazer, agiu. Coincidentemente, essa semana a APPA retomou o assunto (motivada inclusive pelos sempre cordiais e corretos apelos do João Augusto, nosso associado) e pretende buscar interface produtiva e com poder de decisão na Infraero para buscar o encaminhamento desse tema.

    Enquanto isso, no Brasil, o país do desmando e do desperdício, pátios permanecerão vazios, alguém continuará a faturar nas franjas das normas ilógicas e quem precisa de pátio, ficará sem pátio.

    Como escutamos de um “Sindicato” dos Administradores de Infraestrutura Aeroportuária certa vez, vagas de aeroportos não podem custar mais barato do que vagas de estacionamento em Shoppings! A APPA não concorda com um argumento que beira a imbecilidade, mas tem certeza que se houvesse como parar aeronaves em estacionamentos geridos por profissionais e não por amadores, como é o caso hoje, já teríamos feito acordo com empresas do setor. Não faltaria demanda, ainda mais com o benefício extra de não mais precisar escutar abobrinhas de administradores de aeroportos que além de infringir regras, muitas vezes praticam ilegalidades, deliberadamente.

  4. Beto Arcaro
    10 meses ago

    E Jacarepaguá então ?
    SLOT e pátio!
    Se for com “slot de oportunidade” (nem previsto em NOTAM) dá na mesma!
    Você pousa e decola na boa.
    Pátio?
    Até uma hora de permanência tudo bem.
    Se atrasar, você avisa na hora e fica o quanto quiser.
    Tudo vazio, espaço sobrando.
    Só que tá lá no papel!
    Agora mesmo, estou ligando em SBBI para reservar pátio pra Quinta Feira….
    Completamente desnecessário, mas…tá lá no papel, “vai quê”….
    Tudo pra que o trabalho deles, seja feito por nós.

  5. Filipe Pazzine
    10 meses ago

    Vazio do jeito que a Infraero gosta, menos trampo, eeee brasilzão.

  6. Ah, mas eu sei. É para trabalhar pouco ou nada e – de quebra – espezinhar todo o mundo que não é da “panela”. Para o AeroAnta ou para os jatos que transportam a pelegada e ex-mandatários de 9 dedos, sempre haverá slots, permanência ilimitada, lugar reservado em frente aos pavilhões de autoridades (mesmo que o “passageiro ilustre” não seja mais autoridade…ao menos não oficialmente) etc…em tempo: ninguém me contou. #BeenThereDoneThat

Deixe uma resposta