Nomeados três novos diretores para a ANAC

By: Author Raul MarinhoPosted on
216Views2

Saiu no Diário Oficial de ontem (06/04/16) a nomeação de três novos diretores para a ANAC. São os três nomes previamente citados neste post, a saber: “o do economista Juliano Alcântara Noman; o do Tenente-Brigadeiro do Ar Hélio Paes de Barros Júnior; e o do advogado e administrador de empresas Ricardo Sérgio Maia Bezerra. Os dois primeiros são para ocupar os cargos dos atuais diretores que deixarão [deixaram] a ANAC na próxima sexta-feira, [no último dia 18/03], respectivamente o diretor-presidente Marcelo Guaranys e o diretor Cláudio Passos. O terceiro nome é para ocupar a diretoria que já se encontra vaga”. Complementa, ainda, aquele texto:

O economista Juliano Noman, servidor da ANAC exercendo o cargo de Secretário de Navegação Aérea Civil na SAC-PR, foi o protagonista do estranho episódio da indicação e desindicação de dezembro de 2015, que culminou com a saída do ministro Eliseu Padilha logo em seguida (lembrando que o cargo de ministro da SAC-PR vem sendo exercido interinamente desde então). Já o Ten.-Brig. Paes de Barros, aviador com mais de 4mil horas de voo, foi instrutor na Academia da Força Aérea, Comandante da Base Aérea de Anápolis, Chefe da Comissão Aeronáutica Brasileira em Washington, Diretor do Parque de Material Aeronáutico dos Afonsos, Comandante do Segundo Comando Aéreo Regional, Chefe do Estado-Maior do Comando-Geral de Operações Aérea, Comandante-Geral de Apoio e, finalmente, Chefe do Estado-Maior da Aeronáutica – cargo que ocupa desde janeiro de 2015. E o Dr. Ricardo Bezerra é ex-dirigente da INFRAERO e da própria ANAC, onde ocupou o cargo de Diretor de Regulação Econômica entre julho de 2010 e 19/03/2015 – está fora da Agência há exatamente um ano, portanto. Desta vez, ninguém vai poder dizer que se está indicando quem “não é do ramo”, né?

2 comments

  1. Deposito minhas esperanças em Ricardo Bezerra, por suas formações, por saber que nossos requerimentos terão seus fundamentos jurídicos reconhecidos por ele e que, latu sensu, proceda de acordo com os ditames do art. 37 da Constituição Federal, em especial o Princípio da Eficiência! (OAB/MT 9057).

  2. Verdade. Sucesso nas funções, sorte e toneladas de paciência a eles que chegam. Espera-se que consigam imprimir melhor ritmo à agência (cujo portal SINTAC estava, por acaso, “no pau”, agora pela manhã; ninguém merece!).

Deixe uma resposta