A aviação leve dos EUA vai entrar no séc.XXI

By: Author Raul MarinhoPosted on
219Views4

Vejam que interessante o subtítulo desta matéria da Flying Magazine (no meu entendimento, muito mais esclarecedor do que o título): “Nine associations, including AOPA and EAA, are calling for the adoption of the new light aircraft certification standards by the end of the year“. Na prática, o que se está a dizer é que a autoridade da aviação dos EUA tende a suprimir as barreiras entre a aviação leve certificada e a aviação “experimental”/homebuilt (E-AB) – o que, convenhamos, é uma divisão que só faz sentido em termos econômicos, já que tecnicamente ambas não possuem diferenças.

Ou seja: o que se pretende é trazer a aviação leve dos EUA para o séc.XXI.

4 comments

  1. Edu
    9 meses ago

    Raul,

    Acho que li um texto completamente diferente do que você leu então. O que estão discutindo é a substituição de elementos prescritivos do regulamento. Isso quer dizer, por exemplo, que ao invés de estar escrito que “a saída deve ter as dimensões mínimas de 24 polegadas de largura e 48 polegadas de altura”, o texto dirá algo nas linhas de que a saída deverá ser aberta em x segundos e permitir que os ocupantes desembarquem em y segundos, com o objetivo de promover soluções criativas. E não são tantas mudanças assim, pois o FAR23 já é em sua maior parte baseado no desempenho esperado.

    Quanto à questão econômica, certificação custa $$$ devido à realização de testes comprobatórios, e isso não muda (e nem faria sentido mudar).

  2. Gustavo
    9 meses ago

    Raul, eu acredito que seja muito bom essa divisão.

    Acredito que toda aeronave antes experimental, para a venda no merdado consumidor deveria ter essa certificação, e ter alguma garantia.

    Já o “experimental”, ao meu ver, poderia ficar mais reservado ao momento em que não está a venda, de uso restrito do fabricante…

    Seria mais organiado, ao meu ver…

    • Gustavo
      9 meses ago

      organizado*

Deixe uma resposta