O “apagão de empregos de piloto no Brasil”

By: Author Raul MarinhoPosted on
254Views6

A imprensa brasileira – pelo menos a feita com seriedade e profissionalismo – agora acordou para o “apagão de empregos de piloto no Brasil”. O Estadão deste último domingo (08/05/2016) publicou uma página inteira de reportagens sobre o assunto:

Voltarei a falar sobre isso no post sobre empregabilidade de pilotos que vou publicar aqui, em breve, comentando o artigo que escrevi para a edição deste mês da revista Avião Revue.

6 comments

  1. Batistaca
    9 meses ago

    Ja eu Pc/mult/ifr/faculdade de ciencias aeronauticas/ja fui instrutor/ sou piloto de helicoptero tbm pch/ifrh checado estou trabalhando no Uber do Rj

  2. Paulo
    9 meses ago

    Estamos no sufoco. Centenas estao sendo desligados ‘per forca’ pelas empresas. Empresas fortes estao cada dia mais se afundando. No Brasil, soh existe saida com o impeachment, retomada do crescimento do PIB, baixa do dolar, ministerios fortes e competentes e com um plano continuo depois das eleicoes de 2018. Alem da abertura total do capital estrangeiro, que ganha mais corpo a cada dia. Resguardando claro, o direito de empregabilidade dos pilotos brasileiros. E se tudo isso der certo, soh para 3 ou 4 anos. Qualquer outra prespectiva de melhora da nossa realidade atual, fora desse contexto, sera ilusao (ou milagre) para minha pessoa.

  3. Marcos Véio D' Guerra
    9 meses ago

    É. Eu lí a matéria no domingo e fiquei intrigado com “otimismo” do SNA em dizer que existem 400 PCs sobrando no mercado.
    Acho que devem ser associados do sindicatos nesta situação. Ou a convivência com a realidade não seja lá muito o forte do povo por lá.
    Enfim! Só eu, conheço uns 30 que estão fazendo outra coisa da vida.

    • Raul Marinho
      9 meses ago

      No contexto da reportagem está se falando de pilotos que atuam em companhias aéreas.

  4. vasconcelos
    9 meses ago

    Entendo perfeitamente as matérias citadas, sou piloto comercial com algumas experiências, mas estou em outro ramo enquanto a aviação não me emprega. Estou trabalhando com instalações elétricas em obras recém prontas e estou fazendo faculdade de engenharia elétrica como minha primeira alternativa.

Deixe uma resposta