A dignidade da nota da EFAI sobre o acidente com o Cabri da escola

A dignidade da nota da EFAI sobre o acidente com o Cabri da escola

By: Author Raul MarinhoPosted on
486Views6

Normalmente, os operadores aeronáuticos não gostam muito de falar sobre acidentes que ocorrem no âmbito de suas instituições, o que é perfeitamente compreensível. Não foi, entretanto, o que se viu quatro anos atrás, quando aconteceu um acidente com um helicóptero operado pela EFAI (escola de aviação de asa rotativa localizada na região metropolitana de BH), durante um procedimento de cheque que estava sendo realizado no Esquilo que eles possuíam – o popularíssimo “Zé” (PT-HZE), de saudosa memória dos pilotos de helicóptero do país. Tanto a nota divulgada pela escola na época foi um fato incomum, que publiquei um post para comentar o assunto: “A dignidade da nota da EFAI sobre o acidente com o Esquilo da escola“. No final, restou evidente que a transparência da EFAI para com o ocorrido só serviu para reforçar a ótima reputação da escola.

Alguns dias atrás, em 16/09/2016, outro acidente com um helicóptero da escola voltou a ocorrer, desta vez com o Cabri recém incorporado à frota. E, mais uma vez, a EFAI publicou uma nota em seu site logo em seguida – o que  mostra que o comportamento ante o acidente visto em 2012 não foi por acaso (tanto é que só foi preciso mudar o modelo do helicóptero no título deste post…).

Quanto ao Cabri, especificamente, acho que ficou demonstrada sua “capacidade anticrash” divulgada pela escola.

A seguir, a íntegra da nota publicada em 17/09/2016 no site da EFAI:

Nota sobre acidente EFAI

É com pesar que a EFAI – Escola de Aviação Civil Ltda, frente ao acidente ocorrido na noite de ontem (16/09/2016) vem a público informar o seguinte:

A aeronave, um Cabri G2 (PR-EFC), de propriedade da Escola, decolou do heliponto EFAI por volta das 19h00 para um voo de treinamento noturno, tendo a bordo o Cmt. Pedro de Moraes Rodrigues, aluno do Curso de PCH (Piloto Comercial de Helicóptero); e a Cmt.Fernanda Polesca Soares, Instrutora da EFAI.

Logo após a decolagem, e sem ganhar altura como esperado, a instrutora assumiu os comandos. A aeronave, no entanto, apresentou uma queda de rotação e, em seguida, entrou em giro pela esquerda vindo a colidir com algumas árvores antes de atingir o solo.

A aeronave sofreu danos graves,porém, graças as suas características anti-crash, foi capaz de proteger a integridade física dos ocupantes.Tanto aluno quanto instrutora sofreram apenas ferimentos leves, tendo abandonado a aeronave por meios próprios e, posteriormente, sido removidos conscientes para o Hospital João XXIII para exames mais detalhados.

Após liberado pela equipe médica, o Cmt. Pedro Rodrigues, sem qualquer ferimento grave, seguiu para o Hospital Mater Dei para uma tomografia a fim de averiguar uma dor de cabeça que ainda sentia.A Cmt. Fernanda, que sofreu um corte na cabeça e luxou a mão esquerda,foi medicada pela equipe do João XXIII e liberada.

O Terceiro Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos – SERIPA III foi informado e acionou um oficial do CIAAR (Centro de Instrução e Adaptação da Aeronáutica) para efetuar a ação inicial no local do acidente, atividade que deverá ser realizada na manhã deste sábado. A EFAI providenciou a guarda do local como forma de preservar indícios que certamente irão auxiliar na investigação.

Enquanto isso, uma equipe do próprio SERIPA III prepara seu deslocamento do Rio de Janeiro para Belo Horizonte para início da investigação que levantará os fatores contribuintes para o acidente, com vistas à prevenção de outros.

A EFAI encerra essa nota reforçando sua crença de que o nível de Segurança de Voo das aeronaves em geral, e dos helicópteros em particular é, significativamente, dependente da formação inicial do piloto. E, dessa forma, reforça também a importância que a Segurança de Voo sempre teve, e continuará tendo, em suas operações.

6 comments

  1. Milton
    1 ano ago

    Tanta notícia trágica nos últimos tempos que devo dizer, FELIZMENTE desta vez os pilotos escaparam vivos e bem. Meus votos pela pronta recuperação deles, e muitas horas de voo tranquilo no futuro.

  2. gabrielzipfull@hotmail.com
    1 ano ago

    Sei que não é o post certo para fazer essa pergunta, mas estou querendo saber como está a contratação de pilotos hoje em dia ?
    para acumular horas de voo as pessoas viram instrutores, certo ? e está fácil para conseguir virar um instrutor ? afinal eu acho que a única maneiro de acumular horas de voo sem ficar gastando e gastando é virando instrutor, certo ?

    • Raul Marinho
      1 ano ago

      De certa maneira, este é o post certo, sim. Se um concurso com UMA vaga para ser piloto de monomotor no pantanal ganhando R$6mil dá essa polêmica toda, imagine o quanto está difícil conseguir emprego na aviação hoje em dia… Nada está fácil na aviação, amigo, inclusive na instrução.

      • Gabriel
        1 ano ago

        Então você não aconselha a entrar no ramo agora ? No momento não está valendo a pena ?

        • Raul Marinho
          1 ano ago

          Sem te conhecer, não tenho como te aconselhar a nada.

  3. Rubens
    1 ano ago

    Eu fico triste quando vejo este tipo de materia, triste porque me lembra o nivel de civilidade da nossa republiqueta de bananas. Um gari ou um taxista acha um maco de dinheiro e devolve pro dono- pronto ja vira noticia do Fantastico. Uma instituicao que prega a seguranca de voo como principio colabora com o SERIPA, tambem merece elogios. Ou seja agir corretamente virou merito, o fora da curva que causa estranhamento.
    Decididamente tamo f@dido, esta merda parece que nao tem jeito mesmo!

Deixe uma resposta