“Tive um ‘birdstrike’, e agora?”

“Tive um ‘birdstrike’, e agora?”

By: Author Raul MarinhoPosted on
45Views3

Agora, limpe a sujeira e fotografe – mas fotografe direito! Leia o manual “Como fotografar animais mortos envolvidos em colisão com aeronaves“, produzido pela INFRAERO, que mostra também como lidar com a carcaça (inclusive de outros bichos, não só de aves). E não se esqueça de preencher o formulário CENIPA-15, que serve tanto para colisões, quanto quase-colisões e avistamentos.

3 comments

  1. Rubens
    2 meses ago

    Pessoal,

    Incluam aí por favor o conteúdo do link: http://www.cenipa.aer.mil.br/cenipa/sigra/protocolo_coleta
    Dúvidas, por favor, entrem em contato em riscoaviario@cenipa.aer.mil.br

  2. Leandro
    2 meses ago

    Raul, esses procedimentos conforme citados encontram-se no NSCA 3-13?

    • Raul Marinho
      2 meses ago

      Não. Na 3-13 tem uma referência bem mais genérica:

      3.3 INCIDENTES AERONÁUTICOS
      3.3.1 Os incidentes aeronáuticos cujas circunstâncias o CENIPA julgue que a investigação
      poderá trazer novos ensinamentos à prevenção e à Segurança de Voo, serão investigados e
      poderão ser gerados o RAI, o RP, o Relatório Final (RF) ou a SUMA de Investigação.
      3.3.2 Incidentes aeronáuticos com elevado índice de repetitividade, tais como colisão com
      fauna
      , estouro de pneu, incidência de raio laser, colisão com balão, por não trazerem novos
      ensinamentos para a prevenção, deverão ser apenas notificados, não cabendo o Registro de
      Ação Inicial (RAI).

Deixe uma resposta