O “apagão de pilotos” americano está tão sério que as companhias estão apelando para os militares que atuam na asa rotativa!

O “apagão de pilotos” americano está tão sério que as companhias estão apelando para os militares que atuam na asa rotativa!

By: Author Raul MarinhoPosted on
230Views6

De acordo com esta nota da Flying Magazine, uma escola de aviação dos EUA (Coast Flight Training), em parceria com a Envoy Air (empresa regional subsidiária da American Airlines), desenvolveu um programa de treinamento especialmente desenhado para que pilotos militares de helicópteros transicionem para a linha aérea de asa fixa em 90 dias. Uma vez completado o programa de transição, estes profissionais começam a trabalhar na companhia aérea parceira imediatamente.

Impressionante o que as companhias regionais estão fazendo para lidar com o “apagão de pilotos” do mercado americano, não!? Ao que parece, a única coisa que eles não estão dispostos a fazer é abrir o mercado para aeronautas estrangeiros. Até agora, ao menos…

6 comments

  1. Enderson Rafael
    7 meses ago

    Lembrou-me um artigo de uns 4 anos atrás… Acho difícil abrir pra estrangeiros – e esse tipo de medida mostra a criatividade para evitar tal coisa – mas não acho impossível. Só de termos gente voando na regional no F1 já é incrível. Não duvido que arrumem um jeito de fazê-lo durar mais.

    • Andre
      7 meses ago

      Voando na regional com visto F1?

  2. Cleverson Borges
    7 meses ago

    E agora com o Trump adotando medidas protecionistas, creio ficar bem complicado o mercado de trabalho para os estrangeiros!

    • Raul Marinho
      7 meses ago

      Para pilotos brasileiros, não vai ficar nem mais nem menos complicado… Vai continuar inacessível!

      • sergio
        5 meses ago

        O que vc quis dizer com “inacessivel”? Atualmente está muito dificil para pilotos brasileiros trabalharem nos EUA?

        • Raul Marinho
          5 meses ago

          Inacessível mesmo… É praticamente impossível conseguir visto para atuar profissionalmente como piloto nos EUA (a não ser que vc se case com uma americana, p.ex.).

Deixe uma resposta