“Azul planeja elevar 13% da capacidade operacional em 2017”. Boa notícia? Sim, mas em termos…

“Azul planeja elevar 13% da capacidade operacional em 2017”. Boa notícia? Sim, mas em termos…

By: Author Raul MarinhoPosted on
119Views3

Deu a seguinte manchete no Portal Exame de ontem: “Azul planeja elevar 13% da capacidade operacional em 2017 – A estimativa, segundo a empresa, tem como base a introdução de 10 aeronaves Airbus 320neo na frota“. Boa notícia, não!? Bem… Para os acionistas da companhia, talvez. Para os aeronautas, não necessariamente. Vejam o que diz este trecho da matéria:

(…) O documento também traz projeções relativas à evolução da frota da companhia até 2020. Segundo o prospecto, a Azul encerrou o ano de 2016 com 123 aviões, sendo 74 E-Jets da Embraer, 35 ATRs, 5 Airbus A320neo e 5 Airbus A330. Em 2017, a empresa estima que contará com uma frota de 121 aeronaves, sendo 60 E-Jets, 35 ATRs, 10 A320neo e 7 A330.

Bem… Tudo somado e subtraído, multiplicado e dividido, a companhia deverá encerrar 2017 com MENOS aeronaves que 2016. E por mais que os aviões maiores possam requerer de uma relação ‘pilotos:aeronave’ um pouco superior, no fim das contas a necessidade de pilotos deverá ficar estável ou mesmo diminuir um pouco. “Ah, mas a empresa está abrindo processos seletivos neste ano!”. Pois é, ao que parece está mesmo! Mas se a frota não cresce, as possibilidades são limitadas: ou os pilotos voarão menos horas por mês, ou tem gente saindo ou por sair da empresa. Em ambos os casos, não é boa coisa para os tripulantes – para 2017, ao menos. De 2018 em diante, o prognóstico é mais favorável, segundo a mesma reportagem. O problema é que, como diria aquele famoso economista

3 comments

  1. Marcos Véio
    3 meses ago

    Os A320neo deverão substituir uma boa parte da frota de Ejets. Um tanto quanto óbvio esse movimento.

  2. vai vendo...
    3 meses ago

    Quanto ao número de tripulantes, tá tranquilo. A galera vai aderir ao programa oferecido, chamado “reserva voluntária” e voar na folga.

  3. João
    3 meses ago

    Acho que essas contas ai das aeronaves estão um pouco erradas, 2016: 74 + 35 + 5 + 5 = 119; e 2017: 60 + 35 + 10 + 7 = 112; Sendo assim, a coisa é pior ainda, uma diferença de 7 aviões, entre um ano e outro, ao contrário de apenas 2 como apresentado 2016: 123 e 2017: 121.

Deixe uma resposta