sobre

Sobre | ParaSerPiloto

O Blog

Ao longo de seus 5 anos de existência, o ParaSerPiloto se consolidou como uma fonte ágil e confiável de informação sobre regulamentação aeronáutica, tendo sido visualizado mais de 1.000.000 de vezes só em 2015. Hoje, somos muito mais que um blog sobre aviação: nós nos tornamos uma ferramenta indispensável para a orientação de pilotos e operadores de aeronaves sobre questões de formação, empregabilidade e segurança operacional.

Serviços e Consultoria

Com mais de 3.000 artigos e 30.000 comentários e contribuições de seus leitores, o acervo de conhecimentos do ParaSerPiloto viabilizou a criação de soluções personalizadas para necessidades de pessoas e organizações: os serviços de Orientação Profissional e Consultoria, focados na mitigação de riscos nos processos de tomada de decisão.

Raul Marinho

Piloto comercial de avião e administrador de empresas, é fundador e editor do ParaSerPiloto. É reconhecido entre pilotos e empresas como formador de opinião e especialista na regulamentação relacionada a licenças e habilitações (RBAC 61), a escolas de aviação civil (RBHA 141) e às regras gerais de operação de aeronaves civis (RBHA 91). Autor de livros nas áreas de estratégia e negociação e de formação de pilotos, é também articulista na revista Avião Revue.

Para anunciar

Nós e nossos leitores somos apaixonados por informação de qualidade e conhecimento. Oferecemos possibilidades de exposição de marca diferenciadas, buscando sempre que possível entregar conhecimento além de divulgação, usando técnicas inovadoras de interação do marketing digital (veja este exemplo de divulgação diferenciada). Para conhecer as possibilidades de anúncio e publicidade que poderão impulsionar sua marca ou iniciativa faça o download deste material em PDF e entre em contato com o Marcos Pereira, gestor comercial do blog e responsável pelo conteúdo sobre empreendedorismo do ParaSerPiloto.

Precisa conseguir pessoas para responder a uma pesquisa acadêmica? Divulgamos gratuitamente seu formulário de pesquisa no blog, entre em contato clicando aqui.

Isenção de Conteúdo

O conteúdo deste blog é independente e de única responsabilidade de seu editor e de seus articulistas, não refletindo a opinião da AOPA Brasil ou do Sindicato Nacional dos Aeronautas. As fontes utilizadas para as publicações são indicadas nos próprios artigos em casos mais específicos, em caráter geral as fontes de referência são indicadas nesta página.

28 comments

  1. minéia rita oliveira lima
    2 meses ago

    boa noite ,sou estudante do sest senat no df ,em mma,eu gostaria de saber como faço para fazer este curso de piloto online,obrigado.

  2. myk jordan de andrade
    4 meses ago

    Bom dia,

    Sou estudante do Curso de aviação civil em Cuiabá-MT estou fazendo um TCC com o tema Regulação Econômica e gostaria de saber se você pode me ajudar.

    Na sua opinião qual seria a melhor formar de distribuição da arrecadação na aviação?

    att.

    • Raul Marinho
      4 meses ago

      Poxa, Myk, assim, na lata? Kkkkk

      Não me atreveria a responder isso de bate pronto. Em 1o lugar: arrecadação do quê? De TFACs (quais?), de tarifas de embarque, de pagamentos dos concessionários…???
      Quais as destinações obrigatórias previstas em lei?
      Qual o % dos recursos que há, de fato, liberdade?
      Quais os mecanismos para definir prioridades?

      Enfim, este é um assunto que não dá para responder num comentário de post.

  3. danielvictorsm
    2 anos ago

    Caro Raul, mas uma vez recorro a sua experiencia para sanar uma duvida.

    Lendo o RBAC 61 me deparei com um interpretação de texto que me deixou “encucado”, conversando com amigos da aviação percebi que ninguém sabe ao certo o que é e o que deixa de ser…

    Apesar das escolas de voo de helicoptero do Brasil inteiro instruir os alunos de uma forma, lendo o texto eu entendo diferente, bom, vamos a minha duvida.

    O RBAC61 quando tratar sobre os requisitos pra concessão da licença de PCH diz:

    “…(2) categoria helicóptero:
    (i) um total de 150 (cento e cinquenta) horas de voo, sendo pelo menos 50 (cinquenta)
    horas em helicóptero, ou 100 (cem) horas de voo, se estas foram efetuadas, em sua totalidade,
    durante a realização completa, ininterrupta e com aproveitamento de um curso de piloto comercial
    de helicóptero aprovado pela ANAC. As horas totais devem incluir em helicóptero, pelo menos:…”

    Quero destacar aqui o trecho “sendo PELO MENOS 50 horas em helicóptero”.

    Lendo e relendo EU compreendo esse paragrafo dividido em 2 partes, dividias pelo “OU” , onde na primeira diz que são necessários “…150h de voo, SENDO PELO MENOS 50H EM HELICÓPTERO…” a segunda parte diz “… ou 100h de voo em escola homologada…”.

    Não a duvidas com relação a diferença de horas entre fazer “fora” e “dentro” de escola.

    A minha duvida é apenas com relação a primeira parte, especificamente com relação onde fala “SENDO PELO MENOS 50H EM HELICÓPTERO”, no meu entendimento o texto diz, em outras palavras, que para checar o PCH são necessário 150h de voo, mas apenas 50h de voo em helicóptero, o que permitiria voar as outras 100h em avião por exemplo, ficando 100h de avião + 50h de helicóptero = 150h, o que atende a frase “…150h de voo, SENDO PELO MENOS 50H EM HELICÓPTERO…”.

    Sou piloto de avião, e chequei o PPH com 25h em escola, mantendo essa interpretação eu voaria mais 25h de helicóptero, e poderia pedir o cheque de PCH via checador Anac.

    O que vc entende analisando esse paragrafo? Faz sentido? Seria um erro no texto, ou essa possibilidade é real?

    Todas as escolas que eu converso me dizem que são 150h de helicóptero pra que voa fora da escola, mas essa parte do texto, “…150h de voo, SENDO PELO MENOS 50H EM HELICÓPTERO…”, não me deixa acreditar.

    Gentileza me dar sua opinião.

    Desde já agradeço e parabéns pelo blog.

    Grande abraço,
    Daniel Marçal

    • raulmarinho
      2 anos ago

      Pois é, Daniel, em princípio seria isso mesmo: mais 25 horinhas, e vc teria o direito a pleitear a licença de PCH! Mas o que eu acho que vai pegar é vc conseguir cumprir com os requisitos da seção 61.99 sobre treinamento de voo. Se der para fazer isso tudo que o item a-2 da seção requer, não vejo porque não obter a carteira de PCH.

      P.S.: Respondo isso em tese, pois nunca vi um caso desses ocorrer na prática.

  4. rodrigoa32f
    2 anos ago

    Raul Marinho,

    Os blogs e fóruns de aviação são muito carente de informação a respeito de DOV.

    Eu descobri esta semana que as escolas terminam o curso prematuramente e nos abandonam antes de que o curso acabe e estou profundamente revoltado. Fora as trocentas mentiras que contam para nós.

    Descobri que tem aluno inclusive processando as escolas para ter direito de fazer o estágio não remunerado, mas a gente aqui no geral fica vendido nesta história..

    Eu sei que o seu blog é respeitado e você tem bastante conhecimento, dá uma luz neste caso para a gente.

    Como proceder para conseguir fazer o estágio e terminar o curso e depois até mesmo como tentar conseguir a colocação no mercado de trabalho.

    Att:

    • raulmarinho
      2 anos ago

      Infelizmente, o blog é especializado no público de pilotos. Lamento.

      • rodrigoa32f
        2 anos ago

        Eu também lamento…

        Muitos aqui almejam ser PLA e como sabemos bem, no futuro quando muitos que tiverem alcançado esta gloria estiverem na correria do preflight ajustando papéis, plano de voo, querendo obter as informações de meteoro em rota, condições no destino e alternado e muitas outras coisas, talvez então percebam a importância que um profissional DOV devidamente treinado faça em suas vidas.

        Não é nada pessoal, mas ter um enfoque tão grande em cooperar na trajetória da carreira do piloto e não criar espaço ou demonstrar interesse para que também sejam auxiliadas as pessoas que buscam a carreira do braço direito do futuro piloto que amanha vai operar na 121, 129 e 135 é um forma de pensar limitada onde “todos” perdem.

        Obrigado.

        • raulmarinho
          2 anos ago

          Meu caro, eu tenho o maior respeito pelos DOVs, assim como pelos MMAs, CMSs, controladores, aeroviários, e todos os demais profissionais que atuam na aviação civil. Mas não tenho como falar sobre tudo aqui neste espaço, senão perderia o foco e, com isto, a qualidade. É só por isso que eu não me proponho a escrever sobre o que me sugere. Porém, há diversos outros blogs e sites informativos na web – vide links do blog – para os quis vc pode oferecer as informações que tem e quer que sejam divulgadas. Todos são sérios e é bem possível que um deles se interesse em publicar as suas informações e denúncias. Lhe desejo sorte!
          Abs,
          Raul

          • rodrigoa32f
            2 anos ago

            Caro Raul,

            O PSP é uma referência que atrai internautas que carecem de informação que vão do PP, passando por CMS, MMA, DOV e muito mais.
            Como o próprio nome do blog sugere o foco aqui é para pilotos onde discutem-se aqui sem restrições temas como regulamentos, técnicas, mercado de trabalho e etc. Sendo assim, eu concordo que tentar abranger áreas como a formação, regulamentação para comissária, manutenção e demais cargos de solo seria algo que poderia sim implicar em uma perca de foco e qualidade, muito embora público para acompanhar tais conteúdos sim!, haveria!
            Respeito incondicionalmente sua postura, entretanto questiono se o foco para DOV poderia de alguma forma caracterizar um desvio de foco tão grande como você parece entender. partindo do fato que DOV estuda exatamente parte do mesmo conteúdo que PP, PC e PLA estudam e compartilham o espaço e a responsabilidade no tipo de operação que muitos aqui estarão um dia.., isto para não mencionar que existem pilotos que pleiteiam cursar DOV tendo a profissão como um dos meios existentes para atingir um dia o assento da direita.
            Não vejo DOV como um universo paralelo ao da pilotagem na aviação comercial, mas sim como parte dele que juridicamente e tecnicamente estão de certa forma equiparados, não sendo assim desvio algum focar sobre esta parcela no quesito formação de pessoal.
            Tenho certeza que os absurdos

            • rodrigoa32f
              2 anos ago

              Continuação:
              … Tenho certeza que os absurdos que ocorrem hoje na nossa formação não teriam as dimensões que tem hoje se houvesse melhor exploração do espaço voltado à área de formação para pessoal da aviação.

              De qualquer forma agradeço a sua cordial atenção.

  5. Gabriel Bessa
    3 anos ago

    Olá Raul, meu nome é Gabriel Bessa,
    E eu estive lendo alguns artigos do seu blog, e o meu caso é parecido com um que li. Porém, eu já convalidei minha carteira de piloto, agora, eu estou correndo atrás para convalidar minhas horas de voo, pois fiz mais que 40h, logo tinha o interesse dessas horas contarem para o curso de PC, já que irei fazer o mesmo aqui no Brasil para depois convalidar na FAA, pois percebi que existe muito menos burocracia daqui pra lá, do que de lá pra cá! Já pesquisei bastante em relação a essa minha dúvida, mas não achei o caminho que devo seguir ainda… Espero que possam me ajudar!

    Grato!

    • Raul Marinho
      3 anos ago

      Pois é, se um dia vc encontra esse caminho, conte prá gente!
      O problema, meu caro, é que, apesar de haver regulamentação para a convalidação de horas – até bem simples, por sinal: bastaria consularizar o logbook e apresentá-lo à ANAC -, o fato é que a ANAC simplesmente não convalida as horas feitas em aeronaves de matrícula estrangeira. Fora o caminho judicial, não vejo saída.

  6. Fabiano R
    3 anos ago

    Meu caro Raul. Parabéns pelo Blog, li vários artigos e gostei bastante.
    Gostaria de lhe pedir uma ajuda simples.
    Eu chequei meu PP e adquiri um C172 SP full IFR praticamente nova. Pretendo fazer meu treinamento PP IFR nela mesma, mais pra manter a carteira em alguma ocasiao especial e ir ganhando experiência em IFR, do que propriamente executar voos IFR como rotina no meu Cessninha, já que voo apenas em condições meteorológicas OMC..
    Mas eu gostaria de uma informação sobre a homologação correta da aeronave. Colocaria ela na Categoria PRI. Mas ninguém soube me informar como fica o uso dela para o meu uso pessoal, embarque de passageiros sem CMA, etc, ou se vai ter alguma restrição na operação por estar em categoria PRI. Grato pela sua atenção.

  7. André
    3 anos ago

    Obrigado pela resposta. Qual a sua opinião sobre kits pré montados de helicópteros experimentais (mosquito, Rotorway, CH7)?

    • Raul Marinho
      3 anos ago

      Olha, André… Na asa fixa, há um histórico de quem monta kits direitinho, e dá pra confiar num RV-10 da vida, haja vista não haver histórico de aviões da marca perdendo a asa por aí. Mas na asa rotativa, vc vai partir de onde? Há pouquíssimos helicópteros experimentais voando por aqui, o que impede que se tenha um histórico da qualidade desses equipamentos. Além disso, há o fato de um helicóptero ser uma máquina muito mais complicada que um avião, com muito mais peças móveis, sujeitas a dar problema. Então, meu caro, concluindo: eu não arriscaria. Pode ser por ignorância de minha parte, mas em princípio eu teria restrições quanto a esses eqptos.

  8. André
    3 anos ago

    Prezado Raul, inicialmente gostaria de parabenizá-lo pelo dom que tens de ajudar pessoas a realizar seus sonhos, trazendo informações extremamente úteis que os ajudarão a trilhar seus caminhos.
    Estou procurando sua ajuda na tentativa de realizar o meu. Desde pequeno sou aficcionado pela aviação. Minha profissão é outra, mas sempre me interessei e continuo me interessando pelo tema. Vislumbro a possibilidade de poder voar através de aeronaves experimentais (avião e helicoptero). Gostaria de saber quais os requisitos exigidos pela nossa legislação para poder pilotá-las. Requisitos para ser proprietário, etc. Outra pergunta: o que significa PLA?

    • Raul Marinho
      3 anos ago

      Para pilotar uma aeronave experimental não há diferença alguma em relação ao que se requer para pilotar uma aeronave homologada: tanto um RV-10 qto um C182 requerem a mesma licença e habilitação, por exemplo. Já para comprar… Basta ter a grana!

      E PLA é Piloto de Linha Aérea.

  9. Hélio
    3 anos ago

    Tenho 15 anos, estou no 2º ano do ensino médio. Desde pequeno sempre tive o sonho de ser piloto comercial. E agora mais 1 ano e alguns meses e posso começar a realizar esse sonho. Tenho planos de ir para os EUA para estudar la e tirar o brevê de PP. Podem indicar escolas de aviação la? Tinha uma em mente, mas pesquisei mais a fundo e vi que a mesma havia sido multada pela FAA em quase 600 mil dólares por documentos falsos sobre reparos em aeronaves e que eles tem um histórico de 7 acidentes desde 2008, inclusive 2 fatais, então fiquei sem outras opções de escolas por la.

  10. Diego Zanatta
    3 anos ago

    Olá Raul,
    Acompanho seu blog a pouco tempo e lhe digo que é um excelente canal de informações para todos os níveis da aviação. Bom o questionamento que farei a seguir já deves estar meio saturado das respostas, mas como diz respeito a minha pessoa assim o farei aqui.
    Hoje tenho 33 anos, sou técnico mecânico, ex acadêmico de eng mecânica e atualmente acadêmico de comércio exterior, trabalhei como técnico de assistência de grandes equipamentos de processos em toda América latina onde por 4 anos viajei muito de avião e assim o sonho só aumentava! Tenho um trabalho independente que me da subsídio para uma investida na carreira de piloto, sonho esse que agora com a condição pessoal e financeira me permite. Com a minha idade, sem muita informação técnica específica, qual seriam as minhas reais chances na aviação comercial ou executiva em uma perspetiva de formação com 500hs em três anos para ingressar em uma cia aérea ou executiva?

  11. lukas jose
    3 anos ago

    Oi, quanto custa em média o curso para eu me tornar um piloto de Boing ??

    • Raul Marinho
      3 anos ago

      Leia o e-book “Como tirar brevê e quanto isso vai custar”, que vc descobre o custo da formação aeronáutica básica, que é o que vc vai ter que gastar do próprio bolso – daí até o Boeing é por conta da empresa que te contratar.

    • Jáber Lima
      3 anos ago

      Lukas, comprei o e-book e recomendo a leitura.
      O texto é de ótima qualidade e de fácil compreensão.
      O Raul trouxe em poucas páginas um resumo fantástico dos passos a seguir e da forma de, realmente, se calcular os custo para o curso.

      Boa leitura!!!

  12. angelinoneto
    3 anos ago

    Caríssimo Raul

    Gostaria de lhe enviar uma notícia interessante:

    http://safetycompass.wordpress.com/

    O post é de 05 de novembro “A True Crusader for Victims’ Issues” de Debbie Hersman sobre Hans Ephraimson-Abt e sobre a sua luta em pró as vítimas e os familiares de vítimas de acidentes aéreos, sendo que ele
    próprio começou esse trabalho após ter perdido uma filha nessas circunstâncias.
    Grato pela atenção!

    Angelino Neto

  13. Olá Raul, acompanho o blog há um bom tempo, no entanto não sei onde enviar links para notícias. Por isso, resolvi deixar aqui mesmo. Segue o link

    http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/2013/09/balao-fez-airbus-perder-sensor-no-rj-como-em-queda-do-af447-diz-cenipa.html

    É sobre acidente com balão, bem interessante!
    Abraço e bons vôos!

    • Raul Marinho
      3 anos ago

      Pode mandar e-mail, ou postar em qualquer lugar, que eu vejo.
      Estou escrevendo sobre este caso neste momento.
      Tks,
      Raul

  14. Jáber Lima
    4 anos ago

    Falou tudo Paulo.
    Acho que sua carta resume o sentimento de todos os leitores do blog.
    Mais uma vez gostaria de agradecer ao Raul, não somente pelas dúvidas sanadas (muitas vezes em off), mas também pelos incentivos e orientações dados através do seu blog.
    Muito obrigado meu amigo, por toda a sua ajuda que é sempre de grande valia!

    Abraço!

Deixe uma resposta